1. Usuário
Assine o Estadão
assine

A Tunísia após a queda de Zine al-Abdine Ben Ali

Partido islâmico moderado Ennahda assume o poder após eleições democráticas e muito disputadas; regime de Ben Ali durou 32 anos

Tunisianos ocuparam ruas da capital em protestoReuters

Primavera Árabe

Primavera Árabe

Em um evento que acabou marcando o início da Primavera ÁrabeMohamed Bouazizi se imolou na cidade de Sidi Bouzid, na Tunísia, em 17 de dezembro de 2010. Com 26 anos, o vendedor ambulante de frutas, que possuía diploma universitário, ateou fogo ao próprio corpo depois que policiais o proibiram de trabalhar na rua. Sua imolação foi seguida de protestos ferozes que se espalharam por todo o país, culminando na queda do presidente Zine al-Abidine Ben Ali, após 23 anos no poder. O ditador fugiu para a Arábia Saudita, onde está exilado até hoje.

Depois que os protestos começaram, Ben Ali havia anunciado estado de emergência no país, demitido grande parte dos funcionários do seu governo e declarado que não iria concorrer ao sexto mandato consecutivo, como tentativas ineficazes de aplacar a revolta popular. Após sua saída, o primeiro-ministro, Mohammed Ghannouchi, assumiu temporariamente o cargo, formou um novo governo de unidade nacional e convocou eleições.

No pleito, realizado em outubro de 2011, o partido islâmico moderado Ennahda venceu e negou que a Tunísia se tornaria um estado islâmico com as características da Arábia Saudita ou do Irã. Ao contrário, lideres do partido fizeram declarações de apoio a um sistema democrático secular e multipartidário.

O novo governo da Tunísia conta com Hamadi Jebali, número dois do Ennahda, como primeiro-ministro. Samir Ben Amor, do Congresso da República e que ficou em segundo lugar nas eleições, afirmou que o líder do partido, Moncef Marzouki, será o novo presidente. Atualmente, Ben Ali enfrenta 100 acusações em tribunais civis e militares da Tunísia.

Veja também:
especialMAPA:
A revolta que abalou o Oriente Médio
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução

Corrupção na Tunísia
Viúva de Arafat estaria envolvida  em corrupção com a família de Ben Ali
Viúva de Arafat estaria envolvida em corrupção com a família de Ben Ali

Governo da Tunísia emitiu mandado de prisão internacional contra a viúva de líder palestino

Entrevista com Hamadi Redissi
'Partido vencedor na Tunísia nega divisão religião-Estado'
'Partido vencedor na Tunísia nega divisão religião-Estado'

Ennahda é 'contraditório' sobre papel do Islã e está longe do modelo turco, diz analista

Tunísia
Chefe de Estado (desde)

Moncef Marzouki (2011)

Capital (pop.)

Túnis

Etnias (1996)

árabes tunisianos 99%, berberes 1%

Religião

islamismo 99,5%

Governo

república presidencialista

Idiomas oficiais

árabe

Constituição

1959

População (ranking)

10.629.186 (78)

Área (ranking)

163.610 km² (93)

PIB (ranking)

US$ 100 bi (71)

Desemprego (2010)

13% (136)

Democracia

144º

Liberdade imprensa

186º

Índice de instabilidade

49,4

Fonte:Almanaque Abril 2011, Cia World Factbook, Economist, Transparency International
Protestos após eleições
Confrontos em Sidi Bouzid, cidade-berço da revolução
Confrontos em Sidi Bouzid, cidade-berço da revolução

Líder do Ennahda, partido que venceu as eleições, fez apelo por calma

Justiça
Tunísia emite ordem de prisão internacional contra Ben Ali
Tunísia emite ordem de prisão internacional contra Ben Ali

Ex-presidente retirou dinheiro ilegalmente do país ao fugir para a Arábia Saudita

Renúncia de Ben Ali
Presidente da Tunísia deixa o país
Presidente da Tunísia deixa o país

Ben Ali já havia decretado estado de emergência e dissolvido governo

Áudios
Lourival Sant"Anna compara Tunísia com Egito

Transição política na Tunísia caminha de acordo com expectativas

Depoimento de embaixador do Brasil no Egito

Embaixador do Brasil no Egito fala sobre as mudanças na região

Mais notícias sobre Tunísia

Notícias e reportagens