Ir para o conteúdo
ir para o conteúdo
 • 

Fome e crise humanitária na Somália

Fome e crise humanitária na Somália - Feisal Omar/Reuters Feisal Omar/Reuters

A divulgação do primeiro relatório sobre o número de mortes provocadas pela crise alimentar na região do Chifre da África revela que mais de 29 mil crianças com menos de 5 anos já morreram de fome nos últimos três meses na Somália - uma média de 300 por dia, quase 15 por hora.

Veja também:
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: 
Somália: uma combinação mortífera
especialCAMPANHA: Saiba como ajudar a Somália a lutar contra a fome

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), 640 mil crianças somalis estão subnutridas e 3,2 milhões de pessoas - de uma população total de 7,5 milhões - precisam de ajuda imediata para sobreviver.

No final de julho, a ONU declarou situação de fome em mais três regiões do sul da Somália, elevando a cinco o total de áreas atingidas. O número já chegou em seis pouco mais de um mês depois.

A mesma ONU, que em agosto lançou um site em português por meio do qual é possível fazer doações às vitimas da fome no Chifre da África, calcula que dezenas de milhares de pessoas tenham morrido em decorrência do atual período de seca, o pior a afetar a Somália em 60 anos.

O alto índice de crianças somalis com desnutrição aguda indica que o número de óbitos entre crianças pequenas aumentará ainda mais. Participe da campanha para ajudar a Somália na luta contra a fome divulgando a hashtag #ajudeasomalia no Twitter.

Siga o Estadão

Vídeos

Cerca de 1500 novos refugiados chegam diariamente à Dadaab | Mais vídeos

Jamil Chade relata como funciona o maior campo de refugiados do mundo

TV Estadão

'Situação era previsível mas mundo ignorou' | Mais vídeos

Enviado especial a Dadaab, no Quênia, relata o início da visita ao campo de refugiados

Mais notícias sobre Somália