1. Usuário
Assine o Estadão
assine

PRESOS

Aprisionamento em massa não derruba criminalidade

Nas últimas duas décadas, número de presos foi multiplicado por 4 em SP, mas crime não caiu

18 DE Maio DE 2014
07 DE Maio DE 2014
03 DE Maio DE 2014
02 DE Maio DE 2014

presos
STF determina prisão de condenados; veja quem já foi (ou devia estar) preso STF determina prisão de condenados; veja quem já foi (ou devia estar) preso Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção Corregedoria da Polícia Civil divulga fotos de agentes considerados foragidos Corregedoria da Polícia Civil divulga fotos de agentes considerados foragidos
STF determina prisão de condenados; veja quem já foi (ou devia estar) preso
Pedro Henry (PP-MT) foi condenado a 7 anos e 2 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Ele vai cumprir pena em regime semiaberto. Antes de se entregar à Polícia Federal, ele renunciou ao mandato como deputado, seguindo o gesto de Genoino e Valdemar Costa Neto. Na carta de renúncia dirigida ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o parlamentar reafirmou sua inocência. Ele estava em seu quinto mandato consecutivo na Câmara.
STF determina prisão de condenados; veja quem já foi (ou devia estar) preso
O advogado Rogério Lanza Toletino está preso em Belo Horizonte. Ele foi condenado a 6 anos e 2 meses por corrupção ativa e lavagem de dinheiro no processo do mensalão, em regime semiaberto. Rogério Tolentino é amigo pessoal do empresário Marcos Valério Fernandes da Silva, que já cumpre pena no complexo da Papuda, em Brasília (DF). Ele trabalhava com o empresário no escritório em Belo Horizonte.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
A delegada-geral da Polícia Civil Marta Rocha classificou a atuação da polícia como "lúcida" e "serena" e garantiu que não haverá mudança na estratégia de combate aos mascarados. "Não se pode ter a ilusão de que essas pessoas estejam indo para esses eventos tratar de mudança social. Não vamos tratar isso de forma pueril. Ninguém mais aguenta essa situação. Não há uma pessoa, qualquer que seja sua ideologia, que suporte mais isso", afirmou a delegada-geral do Rio.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
O secretário de Segurança Pública do Estado do Rio, José Mariano Beltrame, elogiou o "esforço técnico" da Polícia Civil para tipificar os crimes. "Se tem um movimento caótico, no qual queimaram uma viatura e um micro-ônibus (da polícia) do Estado, o que nós temos de fazer é punir essas pessoas. Esse é o esforço técnico que a polícia vem fazendo no sentido de buscar o enquadramento que o Poder Judiciário aceite", afirmou Beltrame.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
Para a 22ª DP (Penha, zona norte), foram levados 49 manifestantes: 17 mulheres, 15 homens e 17 menores de idade. O engenheiro Mário Braziel, de 60, disse que o filho de 14 anos não participou dos atos de vandalismo. O garoto foi a protestos pela primeira vez, segundo o pai, que estuda processar o Estado por danos morais. "Nunca havia visto uma situação dessas. O indivíduo ser preso só porque estava sentado na escadaria da Câmara", reclamou.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
"Acabei desmaiando. Quando acordei, estava na escadaria da Câmara de Vereadores. Os PMs cercaram a gente e detiveram todos", contou o adolescente. Dos presos, 32 têm mais de 18 anos. Foram indiciados em flagrante pelo crime de formação de quadrilha. O advogado Luiz Peixoto, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirmou que os policiais militares não se identificaram para os ativistas nem explicaram o motivo das detenções. Peixoto prometeu registrar ocorrência de abuso de autoridade.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
Até um carteiro uniformizado e um palhaço estavam entre os 39 presos levados para a 25ª Delegacia de Polícia (DP), no Rocha (zona norte do Rio), acusados de envolvimento nos protestos violentos. O carteiro não teve o nome divulgado. O palhaço tem 17 anos. Disse que foi fantasiado à manifestação para "criticar a qualidade da educação".
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
Entre os detidos, 27 foram autuados com base na nova Lei de Crime Organizado, promulgada em setembro deste ano pela Presidência da República. A legislação qualifica organizações criminosas como associação de quatro ou mais pessoas com atuações ordenadas e ações voltadas para a prática de delitos. A lei equipara a organizações terroristas as quadrilhas envolvidas na prática de crimes comuns.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
Os presos foram encaminhados para centros de detenção na tarde dessa quarta-feira, 16. As autuações basearam-se em crimes como dano ao patrimônio, associação criminosa, roubo e incêndio, todos inafiançáveis. Com os manifestantes foram encontrados facões, serras, canivetes e morteiros. A polícia apresentou também sete balões de ar cheios de fezes, que seriam atirado contra os policiais.
Carteiro e palhaço estão entre os encaminhados a centros de detenção
O violento conflito entre policiais militares e ativistas no centro do Rio na noite dessa terça-feira, 15, após o protesto de professores municipais, resultou em número recorde de prisões e apreensões pelas Polícias Civil e Militar em manifestações de rua desde junho. No total, 190 pessoas foram encaminhadas a oito delegacias - 64 adultos e 20 menores foram autuados e continuam presos.
Corregedoria da Polícia Civil divulga fotos de agentes considerados foragidos
Nessa segunda, 15, 7 policiais civis foram detidos por envolvimento em esquema de achaque a traficantes. A Corregedoria divulgou fotos de outros agentes do Denarc envolvidos e que estão foragidos
Corregedoria da Polícia Civil divulga fotos de agentes considerados foragidos
Daniel Dreyer Bazzan
+ fotos sobre presos »