1. Usuário
Assine o Estadão
assine

mapeamento
Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldados se preparam para fazer a transposição de uma "cachoeira" (como são chamadas as corredeiras na Amazônia) no Rio Papuri
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Muitos dos soldados da região são de origem indígena. Em São Gabriel da Cachoeira, seis deles (de etnias diferentes) fazem saudação a uma comitiva de oficiais - cada um falando na sua língua nativa
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldado de origem indígena monta guarda enquanto o resto da tropa faz a transposição de uma corredeira por dentro da mata
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Vista da Serra do Pico da Neblina
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Vista aérea do Rio Negro, próximo a São Gabriel da Cachoeira
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Vista aérea da floresta na região de Tefé, no Amazonas, onde fica nítida a variação natural das coberturas florestais
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
A Bacia do Alto Rio Negro é uma região de “água preta”, onde os rios têm poucos nutrientes minerais e muita matéria orgânica em decomposição, o que deixa a água ácia e pobre em peixes
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
A navegação nos rios amazônicos pode ser difícil, até mesmo para embarcações pequenas. Em áreas de corredeira, o barco precisa ser retirado da água e transportado por terra, no meio da mata
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldados se preparam para fazer a transposição de uma “cachoeira” - como são chamadas as corredeiras na Amazônia - no Rio Papuri
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldado monta guarda com fuzil na proa de uma voadeira no Rio Papuri
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldado registra com um GPS de alta precisão o ponto exato onde estava a ponta do refletor. A aparelho recebe sinais de vários satélites para uma medição precisa, o que leva uma hora
Uma viagem pelo vazio da Amazônia
Soldados do 1º Pelotão Especial de Fronteira do Exército, em Iauaretê, posicionam um refletor de alumínio sobre uma plataforma fluvial portátil, montada no Rio Papuri, na região da Cabeça do Cachorro
+ fotos sobre mapeamento »