1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Um ano sem Hosni Mubarak no Egito

Após 12 meses da queda do regime ditatorial, egípcios continuam protestando militares e pressionando por governo civil

    Mulher egípcia mostra dedo com tinta após votar na segunda-feira, 28, no CairoBela Szandelszky/AP

    Primavera Árabe

    Primavera Árabe

    Inspirados no sucesso da revolução na Tunísia, os egípcios foram as ruas a partir do final de janeiro de 2011. Em apenas 18 dias, durante os quais permaneceram insistentemente na praça Tahrir (da Libertação), no centro da capital, Cairo, o regime de Hosni Mubarak ruiu. Após tentar manobras para se manter no poder, ele anunciou a renúncia no dia 11 de fevereiro, colocando fim a três décadas de ditadura no país.

    A renúncia foi largamente comemorada nas ruas do Egito. Meses depois, Mubarak adoeceria, seria internado e, mesmo em uma cama hospitalar, acabaria sendo levado a julgamento. A imagen de um ex-presidente frágil e doente, deitado atrás de grades, chocou o mundo. Mas o processo contra Mubarak, que responde por acusações de corrupção e violência contra os manifestantes, ainda não terminou.

    No final de novembro, os egípcios começaram a ir às urnas, tentando buscar uma saída para os confrontos, que ainda aconteciam nas ruas. O Conselho Supremo das Forças Armadas, formado pelos militares que governam o país interinamente, enfrentou uma série de protestos, pressionando pela rápida transição para o governo civil. As manifestações, porém, ganharam caráter violento pouco mais de uma semana antes das eleições parlamentares, ameaçando o pleito. Mesmo com a praça Tahrir novamente lotada - e com violentos enfrentamentos entre os manifestantes e as forças de segurança - o Exército manteve a decisão de ir adiante com a votação.

    A pressão popular, porém, gerou resultados. Os militares afirmaram que a esperada transição para um governo civil ocorrerá até julho de 2012. Além disso, o gabinete formado pelo Exército renunciou, forçando a nomeação de um novo primeiro-ministro. Enquanto isso, o Conselho, liderado pelo marechal Hussein Tantawi, procura atenuar as manifestações do povo egípcio, que prometeu uma "segunda revolução" caso os militares tentem permanecer no poder. Apurações apontam a vitória da Irmandade Muçulmana, partido islâmico, no pleito, que ainda não chegou ao fim.

    Veja também:
    especialMAPA: 
    A revolta que abalou o Oriente Médio
    especialESPECIAL: A lenta agonia de Hosni Mubarak
    tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe
    mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução

    Aliás
    O amanhecer e a vida nas tendas da Praça Tahrir
    O amanhecer e a vida nas tendas da Praça Tahrir

    Historiadora brasileira descreve o som das preces e a gritaria em torno da revolução

    Um ano sem Hosni Mubarak
    Egípcios se unem para comemorar aniversário da queda do ditador
    Egípcios se unem para comemorar aniversário da queda do ditador

    Veja imagens das novas manifestações na Praça Tahrir, no centro do Cairo

    Egito
    Chefe de Estado (desde)

    Muhammad Hussein Tantawi (2011)

    Capital (pop.)

    Cairo (11,9 milhões)

    Etnias (1996)

    árabes egípcios 98%, árabes beduínos 1%, núbios 1%

    Religião

    islamismo 87,1%, cristianismo 12,2%, agnosticismo e ateísmo 0,7%

    Governo

    república presidencialista

    Idiomas oficiais

    árabe

    Constituição

    1971

    População (ranking)

    82.079.636 (15)

    Área (ranking)

    1.001.450 km² (30)

    PIB (ranking)

    US$ 497,8 bi (27)

    Desemprego (2010)

    10,8 (117º)

    Democracia

    138º

    Liberdade imprensa

    130º

    Índice de instabilidade

    65,7

    Fonte:Almanaque Abril 2011, Cia World Factbook, Economist, Transparency International
    Egito vai às urnas
    Eleição no Egito tem longas filas; 1º dia termina sem incidentes
    Eleição no Egito tem longas filas; 1º dia termina sem incidentes

    Mesmo com voto facultativo, eleitores foram às urnas; votação segue terça

    Análise
    TV Estadão
    'Democracia só terá lugar quando acabar domínio militar' | Mais vídeos

    Organizadora de equipe que fiscaliza votação analisa cenário eleitoral no país

    Egípcios têm esperança nas eleições de hoje | Mais vídeos

    População fala das preferências partidárias e diz acreditar em processo eleitoral sem fraudes

    Dirigente radical: 'Egípcios aceitarão bem a lei islâmica' | Mais vídeos

    Líder do 'Al-Nur' diz que o partido salafista quer aplicar preceitos islâmicos gradualmente

    O Estado de S. Paulo
    Vídeos
    A batalha pelo centro do Cairo | Mais vídeos

    Confrontos colocam eleições parlamentares de segunda-feira em segundo plano

    No Egito, manifestantes falam sobre eleições | Mais vídeos

    Enviado conversou com manifestantes na praça Tahir, no centro do Cairo

    Áudios
    Confrontos

    Junta militar pede desculpas pelas mortes dos manifestantes

    Reflexos da crise

    Instabilidade política afeta o turismo e a economia do país

    Infográfico
    A revolução que abalou o Oriente Médio
    A revolução que abalou o Oriente Médio

    Entenda as os protestos que derrubaram ditadores e como eles se espalharam

    Especial
    A lenta agonia de Hosni Mubarak
    A lenta agonia de Hosni Mubarak

    Derrubado por protestos populares, ditador enfrenta problemas judiciários e de saúde

    Galeria
    Egípcios querem o fim do governo militar, no poder desde a queda de Mubarak, em fevereiro - Associated Press
    Foto: Associated Press
    Enfrentamentos no centro do Cairo | Mais Fotos

    Egípcios querem o fim do governo militar, no poder desde a queda de Mubarak, em fevereiro

    Palco dos protestos anti-Mubarak, Praça Tahrir voltou a abrigar manifestantes - Amr Abdallah Dalsh/Reuters
    Foto: Amr Abdallah Dalsh/Reuters
    O palco dos protestos | Mais Fotos

    Palco dos protestos anti-Mubarak, Praça Tahrir voltou a abrigar manifestantes

    Militares e manifestantes voltaram a se enfrentar na Praça Tahrir - Bernat Armangue/AP
    Foto: Bernat Armangue/AP
    Militares versus manifestantes | Mais Fotos

    Militares e manifestantes voltaram a se enfrentar na Praça Tahrir

    Mais notícias sobre egito

    Notícias e reportagens