1. Usuário
Assine o Estadão
assine

CRACOLÂNDIA

Haddad fala sobre policiamento na cracolândia
27 DE Novembro DE 2014
25 DE Novembro DE 2014
24 DE Novembro DE 2014
21 DE Novembro DE 2014
18 DE Setembro DE 2014

cracolandia
Haddad diz que grupo resiste Grella rebate Haddad e diz que policiamento na Cracolândia não caiu Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações Crianças vivem 'sitiadas' em hotéis da Cracolândia Ieda Santos Silva, de 56 anos, tirou sua primeira carteira de trabalho Príncipe interagiu com dependentes químicos e conheceu as instalações do programa Príncipe interagiu com dependentes químicos e conheceu as instalações do programa
Haddad diz que grupo resiste "com violência" em deixar a Cracolândia
Prefeito de São Paulo volta a falar sobre a Cracolândia e reafirma que vai levar adiante recuperação da cidade.
Grella rebate Haddad e diz que policiamento na Cracolândia não caiu
Secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, classificou crítica do prefeito Fernando Haddad como "equivocada".
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
A ONG Brasil Gigante foi contratada de forma emergencial, sem licitação, pela Secretaria Municipal do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo, para intermediar as ações da Prefeitura com os dependentes de crack da cracolândia. Um processo licitatório formal está em andamento, com previsão de término no próximo dia 9. Atualmente, a Prefeitura paga R$ 450 por hóspede.
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
Segundo nota da Secretaria Executiva de Comunicação, "a Prefeitura de São Paulo não concorda com o grau de deterioração descrita e vai notificar imediatamente a ONG Brasil Gigante para fazer cumprir junto a seus fornecedores condições dignas e adequadas de moradia nos hotéis contratados na região". A ONG é a responsável por escolha dos hotéis para os dependentes.
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
O advogado Ariel de Castro Alves, membro do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos Humanos (Condepe), afirma que a manutenção de crianças ali viola o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), uma vez que o ambiente insalubre as expõe a riscos à saúde. "É estarrecedor que isso ocorra, ainda mais em um ambiente mantido pela Prefeitura", diz o advogado.
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
Segundo os moradores, as crianças têm vagas em creches e escolas da região, mas as condições sanitárias dos imóveis para onde foram enviadas são precárias.
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
O total de crianças ali varia entre 31, segundo a Prefeitura, e 45, conforme afirma o proprietário dos hotéis onde as crianças estão. "Quando não estão na creche, se está calor, eu fico com eles na praça (Largo Sagrado Coração). Se está frio, eles ficam aqui trancados, o dia todo", diz a dona de casa Janaina Conceição Xavier, de 34 anos. Com ela, vivem três filhos. Ela espera pelo quarto.
Abrigos do Braços Abertos, também usados como moradia, acumulam sujeira e infestações
Os hotéis alugados pela Prefeitura de São Paulo para abrigar dependentes químicos da Cracolândia viraram moradia para dezenas de crianças. Elas passam o dia trancadas em seus quartos, isoladas pelo consumo de crack dos vizinhos. Passados sete meses do início do programa Braços Abertos, aposta da gestão Fernando Haddad (PT) para enfrentar o vício na região, os imóveis do projeto acumulam sujeira, ratos e corredores sem iluminação.
Crianças vivem 'sitiadas' em hotéis da Cracolândia
Segundo familiares, crianças ficam nos quartos para não ter contato com crack
Ieda Santos Silva, de 56 anos, tirou sua primeira carteira de trabalho
Ieda Santos Silva, de 56 anos, tirou sua primeira carteira de trabalho
Príncipe interagiu com dependentes químicos e conheceu as instalações do programa
Com um cartaz, um manifestante criticou o programa do governo municipal
Príncipe interagiu com dependentes químicos e conheceu as instalações do programa
Harry tirou fotos com alguns dos 394 inscritos no programa que recebem R$ 15 por dia para fazer serviços de zeladoria urbana na região
+ fotos sobre cracolândia »