1. Usuário
Assine o Estadão
assine

ACRE

25 anos após morte de Chico Mendes, economia do Acre ainda depende do desmatamento

O "Estado" percorreu o os locais por onde o ambientalista lutou e constatou que reservas ambientais continuam sendo exploradas

14 DE Julho DE 2014
07 DE Maio DE 2014
29 DE Abril DE 2014
28 DE Abril DE 2014

acre
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica Estado fica isolado do resto do País após rodovia ser interditada por alagamentos
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
O governo boliviano deve aumentar a pressão junto ao Itamaraty solicitando explicações a respeito das obras das hidrelétricas Jirau e Santo Antônio. No Departamento de Beni, Santa Cruz de La Sierra e Cochabamba, região de forte atividade pecuária, a estimativa é que já tenham morrido 500 mil cabeças de gado.
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
O nível do Rio Acre também subiu, atingindo na manhã desta segunda-feira, 10, 16,20m. Por causa das cheias, mais de 500 famílias estão desabrigadas. A ponte Juscelino Kubitscheck foi liberada na manhã desta segunda-feira, 10, após ter sido interditada por conta da operação da Defesa Civil para retirada de "balseiros", como são chamados na região os pedaços de árvores e outras vegetações arrastados pelas águas do rio.
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
Empresários destacam que a situação dos preços pode se agravar ainda mais após a vazante do Rio Madeira. Eles acreditam que os engenheiros do Dnit devem interditar a estrada novamente após a vazante. O gás de cozinha chega no estado através de uma balsa, para evitar aumento nos preços.
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
"Um dos maiores compradores de hortifrutigranjeiros do Acre comprou neste domingo o quilo de tomate em São Paulo a oito reais", defende Aragão. "E nós estamos vendendo com preço abaixo do que compramos." O presidente da Acisa admite que, por mais que o governo e as entidades de classe se esforcem, a dinâmica dos preços é difícil de ser controlada. "Não se tem muito controle sobre isso", afirmou. "O cimento, que era vendido a R$ 31 já tenho notícias que está quarenta e nove a saca."
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
A cheia do Rio Madeira e o isolamento que impõe ao Acre trazem como consequência natural a alta nos preços dos produtos, mesmo os hortifrutigranjeiros. O governo do Estado do Acre se articulou e garante o transporte de alguns produtos pelos aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). Apesar disso, a intervenção do Estado não foi suficiente para segurar as tarifas. O presidente da Associação Comercial e Industrial do Acre (Acisa), Jurilande Aragão, confirma que a situação é grave e pode piorar.
Rio Madeira não para de subir; cheia prejudica escoamento da produção
O Rio Madeira não para de subir. Técnicos da Sala de Situação, montada pelo governo do Acre para acompanhar o comportamento das cheias na região, confirmam que existe a possibilidade de que o rio alcance 19,20 metros. As intervenções do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), possibilitam o escoamento lento, mas constante. Cerca de 120 caminhões atravessam o rio diariamente levando produtos para Rio Branco, capital do Acre.
Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica
Moradores enfrentam ruas completamente alagadas no bairro Triângulo, um dos mais afetados pela cheia do Rio Madeira em Porto Velho (RO).
Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica
Na região metropolitana de Rondônia, o número de famílias removidas de suas casas passa de 1,8 mil. O Estado sofre com a maior cheia já registrada no Rio Madeira.
Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica
Na foto, área alagada no município de Jaci-Paraná (RO), onde a rodovia BR-364, que dá acesso ao Acre, foi coberta pela água.
Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica
Usina Hidrelétrica de Jirau está com reservatórios transbordando.
Rio Madeira, em Rondônia, atinge cheia histórica
Para reduzir os impactos da cheia, a hidrelétrica de Santo Antônio teve de desligar 11 das 17 turbinas que estavam em atividade para diminuir a vazão e o volume de água do rio.
Estado fica isolado do resto do País após rodovia ser interditada por alagamentos
Sites informam que o preço da passagem de avião do trecho Porto Velho/Rio Branco aumentou em cerca de 1.000%. A passagem que custava em torno de R$ 245 está sendo vendida a mais de R$ 1 mil. As previsões de chuva não são boas. As possibilidades de vazantes são estimadas para abril.
+ fotos sobre Acre »