1. Usuário
Assine o Estadão
assine

ABSOLVIÇÃO

STF inicia fase de definição das penas

Tribunal decidiu que ministros que votaram pela absolvição não terão direito de decidir as penas, o que deve resultar em punições mais duras

13 DE Março DE 2014
07 DE Junho DE 2013
10 DE Maio DE 2013
18 DE Fevereiro DE 2013

absolvicao
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF Saiba quem teve o recurso aceito na nova fase do julgamento ROMÁRIO/STJD
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Outro ex-sócio de Marcos Valério, Cristiano Paz foi um dos absolvidos pelo crime de formação de quadrilha e responde por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e peculato (23 anos e 8 meses).
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Ramon Hollerbach, ex-sócio de Marcos Valério, foi também absolvido pelo crime de formação de quadrilha. Mas ainda responde por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e peculato (27 anos e 4 meses).
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
O empresário Marcos Valério foi condenado a corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e peculato (37 anos e 5 meses), mas foi absolvido pelo crime de formação de quadrilha.
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Absolvido do crime de formação de quadrilha, o ex-vice-presidente do Banco Rural José Salgado foi condenado a lavagem de dinheiro, evasão de divisas e peculato (2 anos e 3 meses).
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
A ex-presidente do Banco Rural Kátia Rabello foi condenada a lavagem de dinheiro, evasão de divisas e gestão fraudulenta (14 anos e 5 meses de prisão). Contudo, foi absolvida do crime de formação de quadrilha.
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
O ex-presidente do PT e ex-deputado José Genoino foi um dos oito absolvidos pelo crime de formação de quadrilha. Ele foi condenado pelo crime de corrupção ativa (4 anos e 8 meses de prisão).
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Assim como José Dirceu, o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares também se livrou do regime fechado com a absolvição pelo crime de formação de quadrilha. Condenados apenas por corrupção ativa, os dois poderão deixar a cadeia ainda em 2014.
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Em fevereiro, o STF havia derrubado por seis votos a cinco as condenações de outros oito réus por formação de quadrilha. A decisão, obtida por meio de recursos, foi selada pelas posições de dois novos magistrados que passaram a integrar a Corte após a primeira parte do julgamento, em 2012, quando a maioria dos ministros havia optado pela condenação. A mudança derrubou a tese segundo a qual José Dirceu foi "chefe de quadrilha" quando comandou a Casa Civil do Palácio do Planalto.
Veja quem foi beneficiado pela nova votação no STF
Os ministros do STF também absolveram o ex-assessor parlamentar do PP João Cláudio Genu da condenação imposta pelo crime por lavagem de dinheiro no processo do mensalão. Por 6 votos a 3, a Corte entendeu que o ex-assessor era um mero intermediário do esquema de recebimento de recursos do esquema. Com o novo resultado, Genu ficará sem qualquer punição no julgamento. Antes ele havia sido condenado a três anos e seis meses por lavagem de dinheiro, alterada anteriormente para uma pena alternativa.
Saiba quem teve o recurso aceito na nova fase do julgamento
A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) absolveu, na tarde desta quinta-feira, 13, o ex-deputado João Paulo Cunha (PT-SP) da condenação pelo crime de lavagem de dinheiro. Com a mudança, o petista se livra de cumprir pena inicialmente em regime fechado e passará ao semiaberto porque a condenação pelos outros crimes (corrupção passiva e peculato) foi inferior a oito anos de prisão.
ROMÁRIO/STJD
O jogador Romário após ser absolvido por unanimidade no julgamento de seu recurso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD). Por sete votos a zero, retornará para os gramados. 14/02/08
+ fotos sobre absolvição »